Adolescentes x HIV

domingo, 8 de junho de 2008



-Como é que eu vou contar a minha mãe ?
Foi essa a primeira pergunta que eu ouvi dela, uma menina de 16 anos, após ter sido informada sobre os resultados dos exames, o que eles significavam, o que era preciso fazer daqui em diante pela sua saúde
Ela acabara de saber que é portadora do vírus HIV. No seu rosto o retrato do medo, nos seus olhos duas lágrimas carregadas de profunda dor...era evidente a quantidade de dúvidas que rondavam pela sua cabeça naquela hora mas, essa foi a primeira pergunta.
Ele tinha sido seu primeiro namorado, apenas 4 anos mais velho que ela. Ela havia pedido para que ele usasse preservativo, ele havia se negado. Ela jurara para a mãe que ele usaria.
Ela veio ao ambulatório de DST porque apareceram verrugas. Ele foi convidado a comparecer mas não o fez, aliás, ele "desapareceu da vida dela" antes mesmo dela saber o resultado das sorologias.
Ela terá acompanhamento médico e psicológico, aprenderá a diferença entre ser portadora do vírus e ter AIDS, aprenderá a se proteger, e, por causa da sua primeira pergunta penso que terá a compreensão e ajuda da mãe.
Ele, sem saber do seu estado sorológico, vai estar por aí tendo relações desprotegidas, pondo em risco a própria saúde e a das pessoas com quem mantiver relações sexuais. Sua família, muito provalvelmente, só tomará conhecimento dos fatos quando houver pouco ou quase nada a ser feito.

Apenas com estes poucos detalhes desta história podemos perceber quantas implicações existem nas questões que envolvem a sexualidade dos adolescentes. Sabemos que eles têm o "pensamento mágico" em que todo o mal vai acontecer com os outros, mas, nunca com eles.
Por isso, é preciso que se quebrem os tabus sobre o uso de preservativos, é preciso entender o que quer dizer "sexo seguro", é preciso saber o que é "comportamento de risco", é preciso conversar com eles sobre as drogas...é preciso estar mais perto deles, afinal...ainda somos os mesmos e vivemos como nossos país ?!?!


Solange Portela, ginecologista

2 comentários:

Jorge C. Reis disse...

Olá Colega
Gostei muito do teu blog. Já coloquei um link no meu que está em www.pontoblogue.com
É bom vermos médicos na net.

Jorge C. Reis disse...

Infelizmente o dia a dia das nossas vidas. Aqui em Portugal fala-se muito em educação sexual nas escolas mas os resultados são poucos. Professores mal preparados, jovens que não pensam nos riscos que correm (e cada vez mais novos), mas sobretudo pais que não têm tempo para conversar com os filhos.
Fundamentalmente isso: pais irresponsáveis ...
Várias campanhas se têm feito, mas ainda não vi nenhuma dirigida aos pais.
Como dizia o nosso poeta José Carlos Ari dos Santos, "quem faz um filho, fá-lo por gosto". Pena que ele não tivesse acrescentado algo sobre a responsabilidade que esse acto traz consigo.