Escabiose Humana

domingo, 17 de maio de 2009

Também conhecida como Sarna, a escabiose é uma parasitose causada pelo Sarcoptes scabiei, de fácil transmissão, porém, sem grande repercussão sistêmica.
Muito frequente em ambientes de confinamento como hospitais, creches, presídios, alojamentos, etc, a transmissão ocorre pelo contato direto com a pele ou roupas, lençóis e toalhas de pessoas contaminadas como também durante o ato sexual. Não é considerada uma doença de transmissão sexual clássica já que a transmissão não depende fundamentalmente do parceiro sexual e por atingir, com muita frequência, idosos e crianças.
A infestação por este ácaro provoca intenso prurido na pele, que se agrava à noite, e erupções cutâneas consequentes ao fenômeno da coçadura. As lesões típicas consistem em pequenos túneis sub-cutâneos com pápulas nas extremidades, onde as fêmeas do Sarcoptes depositam seus ovos, porém, nem
sempre essas lesões podem ser observadas. As áreas mais atingidas são o abdômen, nádegas, flancos, coxas e mãos. Em homens, a região genital é frequentemente atingida. O tempo de aparecimento dos sintomas varia com a resposta do sistema imunológico, sendo que numa primeira infecção as erupções podem demorar de 2 a 6 semanas para se instalarem, enquanto que nas infecções de repetição ocorrem entre 1 a 4 dias do contágio.
Uma pergunta frequente é sobre a possibilidade de transmissão por animais domésticos como gatos, cachorros, galinhas. Esses animais podem desenvolver a doença e transmitir a humanos, porém a cura é expontânea. O Sarcoptes scabiei, causador da escabiose humana, é um parasita exclusivo do ser humano e a transmissão ocorre de pessoa para pessoa.
O diagnóstico é, na maioria das vezes, clínico, levando-se em conta informações sobre as lesões e sua localização, o prurido, o acometimento do parceiro sexual, membros da família ou da instituição onde o paciente está inserido.
O ácaro pode também ser observado ao microscópio em lâmina contendo material raspado das lesões.
O tratamento deve levar em conta não apenas a eficácia da droga mas também seu potencial de toxicidade, já que o paciente tende a usar a medicação por um período maior que o prescrito. O escabicida deve ser usado em todo o corpo, com excessão do nariz e couro cabeludo. Existem medicações de uso em dose única ou por alguns dias, sob a forma de loções, soluções ou cremes, devendo ser repetido após 7 a 10 dias, quando eclodem os ovos. Há também os medicamentos de uso oral. O prurido pode persistir por várias semanas, havendo necessidade, nestes casos, de associar medicação anti-histamínica.
Cuidados gerais de higiene como troca diária das roupas, lençóis e toalhas dos pacientes, membros da família e parceiros sexuais, bem como a limpeza das mãos e unhas são importantes para diminuir o risco de propagação e/ou recontaminação pela sarna. Importante dizer que, apesar de ser uma doença característica de ambientes com má qualidade de higiene, pode acometer indivíduos de qualquer classe social e com bons hábitos de higienização.

Publico este post em atenção à solicitação de Erik. Espero ter atendido às suas expectativas, meu amigo, e que as informações lhe sejam úteis.

Um comentário:

VejaBlog - Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil! - disse...

VejaBlog
Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil!
http://www.vejablog.com.br

Parabéns pelo seu Blog!!!

Você está fazendo parte da maior e melhor
seleção de Blogs/Sites do País!!!
- Só Sites e Blogs Premiados -
Selecionado pela nossa equipe, você está agora entre
os melhores e mais prestigiados Blogs/Sites do Brasil!

O seu link encontra-se no item: Blog

http://www.vejablog.com.br/blog

- Os links encontram-se rigorosamente
em ordem alfabética -

Pegue nosso selo em:
http://www.vejablog.com.br/selo


Um forte abraço,
Dário Dutra

http://www.vejablog.com.br
....................................................................