Radicais livres, quem são eles

terça-feira, 23 de setembro de 2008



São átomos ou moléculas que possuem na sua última camada eletrônica um número ímpar de elétrons. O não-emparelhamento desses elétrons é que confere alta reatividade aos átomos ou moléculas e faz com eles roubem elétrons de outras moléculas para que se estabilizem, através de reações de óxido-redução, onde quem cede elétron oxidá-se e quem recebe reduz-se. Com isso surgem outros radicais livres.
Em sua maioria eles têm origem endógena, derivados do metabolismo do oxigênio. Existem também causas externas capazes de desencadear a formação desses radicais, como: poluição, radiações, cigarro, aditivos químicos, ingestão de gorduras saturadas e stress. As células do corpo humano são capazes de neutralizar a ação dos radicais livres em até 99% das vezes, portanto, a exposição exagerada aos agentes acima citados é que faz aumentar a quantidade de radicais livres no nosso organismo, facilitando o aparecimento de alterações irreversíveis nas células, enfraquecimento do sistema imunológico e envelhecimento.
É aqui que entram os antioxidantes. Como disse antes, os radicais livres surgem de reações de óxido-redução. Os antioxidantes, como o próprio nome sugere, são substâncias contidas em alimentos, especialmente as frutas, verduras, soja e carne branca, com carga positiva que se combinam com a carga negativa dos radicais livres, tornando-as neutras, e, assim, inofensivas a nossa saúde. Essas moléculas são as vitaminas A, C e E, as isoflavonas da soja, o zinco, o selênio, o licopeno e bioflavonoides.
A prática de exercícios físicos é mais uma forma de proteção contra os radicais livres. Num primeiro momento poderia se pensar que pelo aumento do consumo de oxigênio durante a atividade física, a quantidade de radicais livres também estaria aumentada. Porém, segundo Dr. Cooper, em seu livro "Revolução Antioxidante", a ação dos radicais livres aumenta apenas temporariamente, voltando rapidamente ao nível normal. A atividade física regular aumenta os níveis de enzimas que destroem esses radicais, diminuindo seus efeitos sobre o corpo humano.

2 comentários:

Eduardo Buys do Blog do Varejo disse...

Taí, ''EX', um assunto que todo mundo comenta, mas poucos sabem. Super esclarecedor.
Então os "radicais livres no nosso organismo, facilitando o aparecimento de alterações irreversíveis nas células, enfraquecimento do sistema imunológico e envelhecimento". Mas, a mecânica, em sí, do processo, ainda fica meio nebulosa, não? De minha parte, sempre penso em como uma barra de ferro enferruja, e transponho esta imagem ao nosso organismo. É meio grosseira, coise de engenheiro, mas funciona. Ao menos, me desperta a necessidade de correr atrás dos anti oxidantes. Abraços (à todas...), Edu
-se navegar é preciso, então
www.varejototal.zip.net

ex amelias disse...

Olá, Edu
É verdade, muito se fala sobre eles. O que acho mais importante é uma reeducação no que se refere a alimentação, atividade física e melhor aproveitamento do tempo, dedicando um pouco dele p/ o lazer.
Vc tá certo, temos que corre atrás dos anti-oxidantes.
Valeu...